quarta-feira, 16 de novembro de 2011

VINTE E NOVE MINUTOS


Incerta é a certeza do meu eu
Inconstâncias e incongruências
Da destreza, a ausência
Descompassos aos olhos do mundo
A contemplar remanescências

Os restos de uma imagem
Num espelho estilhaçado
Riso contido e choro latente
Passos de dança sem chão
Na falta de gravidade de minh'alma

Impulsos calados
Ação e reação
A razão do imprevisível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário