segunda-feira, 12 de setembro de 2011

TRANSCENDENDO HORAS

Na desordem do meu cérebro
O pensamento errou o giro e se perdeu
Giros que se transformam em nós

Desintegro-me e me escondo sob o pó
Dos meus livros espalhados
Pelo chão do quarto

Reintegro-me
Devoro-te e regurgito
Arrependo-me
Choro e grito

Prende-me a cada palavra
Se fores capaz
E eu escapo sagaz

Transformo minutos em horas
Perco-me em histórias
Na desordem do meu pensamento
Inquieto-me
Canso-me
E adormeço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário