quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

OCLUSÃO


Onde estão
As sementes do caos que plantei
Os monstros que libertei
Os cânceres que causei
E as mulheres que violei?

Onde estão
As bocas que amordacei
As palavras que calei
As gargantas que cortei
E as guerras que deflagrei?

Onde estão
Os sangramentos que não estanquei
Os rostos que desfigurei
As lágrimas que não chorei
E as fontes que sequei?

Onde estão
Os corpos que prostituí
Os vinhos que não bebi
Os cacos de vidro que engoli
E as vidas que destruí?

Onde estão
Os sorrisos que não sorri
Os risos que não ouvi
As paixões que não senti
E os amores que não vivi?

Onde estão?

Onde estou?

Nenhum comentário:

Postar um comentário